Monstra_PBso

Sala Monstra | Programação de aulas

Sala Monstra:
Coordenada por Natalia Brown, a Sala Monstra foi planejada para complementar as atividades da Maumau. Foi criada a partir da necessidade de um espaço de cuidado, dedicado às atividades corporais. Teatro, dança, circo, performance, yoga, etc. Um espaço que possibilite a experimentação e criação artística incentivando o cuidado e a experimentação com o corpo e diálogo entre outras linguagens.

A Sala Monstra vem também para  suprir a demanda de profissionais desta área que necessitem um espaço alternativo para suas aulas. Surge para abarcar outras iniciativas independentes e projetos artísticos que desejem um espaço amplo para ensaios e apresentações. Já frequentado por artistas plásticos, músicos e produtores, a maumau oferece agora mais um ambiente agradável, entre jardim e varandas cobertas por frondosas mangueiras, e amplia a troca entre artistas e público interessado.

Interessados em alugar nosso espaço para eventos e afins, entrar em contato via e-mail ou telefone.
galeriamaumau@gmail.com | Irma Brown (81) 98661-7559

 

Programação:

TECIDO ACROBÁTICO com Maria Magú
SEG| QUA 9h00 às 11h00
Investimento: R$ 100 reais
*para adultos e crianças
Informações:
Magu  998292318 |
mariaaugusta_pink@hotmail.com

 

SILÊNCIO E SOM – VIVÊNCIA, INICIAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO MUSICAL ATRAVÉS DA PERCUSSÃO
com Negro Grilo

Quarta  19h00 às 20h00
Investimento: R$ 100,00
Informações:
Negro Grilo 9601-8311 | grilo.negrogrilo@gmail.com

YOGA com Nicole Horsford
SEG |QUA 17H30 às 19H00
Investimento R$ 150,00
Informações: nicolearteyoga@gmail.com

 

DANÇA  com Juan Saucedo
PERCURSO DE CORPO E MOVIMENTO

TER 19h00 às 22h00
Investimento R$ 100,00 mensal

Jam Contato Improvisação
QUI 19h00 às 21h00
Contribuição voluntária
Informações: juansisaza@gmail.com

 

CAPOEIRA ANGOLA com Gaby Conde
QUA | SEX 15h00 às 16h30
Investimento R$ 100,00 mensal
Informações:
Gabrielle Conde (81) 98564 7180

 

YOGA com Lícia Jardim
SEG | QUA 11h00 às 12h00
em breve mais informações

 

Workshop

TEATRO DE SEGUNDA com Márcia Cruz
SEG 19h às 22h (07/agosto a 27/novembro)
Investimento: R$150,00
Informações: ciamaravilhas@gmail.com

 

 

Sobre Magu
Artista de 23 anos, nascida em Olinda, formou-se há 3 anos no curso de artes circenses pela Escola Pernambucana de Circo. Procura especializar-se em acrobacias aéreas (tecido acrobático, trapézio e lira) e trabalha com o tecido como um instrumento de autoconhecimento e autonomia do corpo da mulher, entendendo também a sua eficiência para saúde psicológica. Hoje integra um grupo de práticas circenses no Sítio da Trindade, em Casa Amarela, onde lutam pelo fortalecimento dos espaços de circo gratuitos, acessíveis, de caráter coletivo e autônomo, e livres da lógica mercantil. Magú também é Artista Visual e Arte Educadora. Criou um projeto chamado Livretos Ilustrados, onde produz miniaturas de livros com memórias históricas e afetivas do povo Afro-Brasileiro, assim contribuindo para a resistência da cultura negra. Como integrante da rádio comunitária Aconchego, facilitou oficinas de comunicação comunitária dentro do Centro Integrado de Saúde (CIS), e em algumas escolas ocupadas, em novembro-dezembro de 2016. Essas oficinas, dentro de outros fatores, foram motivadas pela sua participação no curso de Video-Arte O que Vemos, O que Nos Olha, realizado pela Escola Engenho. Começou a dar aula para crianças em Janeiro de 2016, na galeria de artes Maumau, a partir de seu projeto que intersecciona o Circo com a Arte Visual, criando novas práticas e dinâmicas que desenvolvem a criatividade e autonomia produtiva das crianças.”

 

Sobre  Negro Grilo
Músico percussionista, cantor, compositor e arte educador, Negro Grilo de 34 anos teve o primeiro contato com a arte e com a música dentro de um terreiro de descendentes africanos chamado sítio de Pai Adão, que fica no bairro de Água Fria, zona norte do Recife.
Aos dez anos de idade o músico pernambucano já fazia parte da banda de percussão mirim do sítio de pai Adão. Lá teve oportunidade de aprender a tocar vários instrumentos percussivos em diversos ritmos musicais introduzidos no Brasil pelos escravos trazidos durante o período colonial.
O acesso a esse universo de culturas ajudou a formar a base da identidade musical de Negro Grilo.
Ex musico integrante e socio na empresa Banda Seu Chico, projeto coletivo de artistas pernambucanos em homenagem a um dos mais renomados compositores do Brasil: Chico Buarque de Holanda. A Banda Seu Chico tem na formação artistas de peso como o pianista Vitor Araújo e o cantor e compositor Tibério Azul.  Ela, que começou lotando boates, festas e casas de shows do Recife, ganhou projeção nacional depois da gravação do CD e DVD Tem Mais Samba numa  tradicional casa de show no bairro da Lapa, cento do Rio de Janeiro.

Negro Grilo é o criador do Silêncio e Som, um projeto de vivência, iniciação e sensibilização musical através da percussão. Utiliza a vibração do tambor para trabalhar a cognição, a consciência de tensão e relaxamento e a sensibilidade dos participantes

 

Sobre Nicole Horsford
Canadense radicada em Olinda (PE), é especialista em Vinyasa Yoga pela One Yoga (Vancouver, Canadá), foi instrutora de dança e dançarina pela Spiritwind Internal Arts (Toronto, Canadá) e Om laila Belly Dance (Toronto, Canadá), além de ser especializada em massagem Thai Yoga.

 

Sobre Juan Saucedo
Pesquisa o movimento há mais de uma década. Já frequentou diversos cursos e oficinas de circo, teatro e dança. Atuou em grupos de dança e performances na rua. É malabarista de sinal de trânsito, integra o E aí? coletivo artístico e é terapeuta holístico energético.

 

Sobre Gabrielle Conde
Treinel de Capoeira Angola, Gabrielle Conde, a Gaby, iniciou sua prática há 23 anos com a Capoeira Regional e dedicou-se também a algumas danças tradicionais do Nordeste. Excursionou pela Europa e por alguns estados do Brasil como dançarina intérprete, cantora e arte educadora, realizando apresentações, processos de criação, ministrando oficinas (capoeira e dança) e facilitando debates sobre as relações étnico-raciais. Gaby desenvolveu projetos de criação como “ARA ONU” (música, canto e danças) e “DE LUANDA A BAHIA” (capoeira, dança, canto e música afro-brasileira). Compõe desde 2011 o Coletivo Dançá Mais Eu fomentando e participando de uma série de ações de cunho artístico pedagógico como o projeto de pesquisa “Interfases para a Improvisação: Investigações sobre a Capoeira Angola e a Dança” que gerou o “FEITO DE NÓS MESMOS” e o projeto de Extensão “Capoeira no CAC” gerador do vídeo registro “Jogo Aberto: Conversas sobre a Capoeira Angola de Recife e Olinda” dentre outros desdobramentos.Participa de grupos da cultura popular e desenvolve trabalho com Capoeira Angola na sede do Grupo Angoleiros do Sertão.

 

Sobre Lícia Jardim
Entusiata do yoga há muitos anos, tem experiência em hatha com foco no alinhamento e exercício de expansão da consciência corporal através dos asanas e pranayamas. Atualmente se dedica ao estudo aprofundado do método iyengar, onde as práticas são orientadas a partir da atenção aos diferentes corpos e necessidades para atingir o máximo de beneficios psicofísicos que a prática regular oferece.

 

Sobre Márcia Cruz | Cia Maravilhas
Atriz, palhaça, pesquisadora e professora de teatro, graduada na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), especialista em Desenvolvimento Social, pelo Institut d’Études Universitaire du Développement (IUED|Genebra-Suíça), e em Psicopedagogia, pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE). O primeiro contato com o teatro foi em 1984, sob a orientação da mestra Lucide Veiga, e desde então participou de vários grupos de teatro em Recife. Em 2012 foi agraciada com o prêmio APACEPE de Teatro no 18° Janeiro de Grandes Espetáculos – FIAC/PE, categoria atriz coadjuvante adulto, pela sua atuação no espetáculo Essa Febre que não passa (Coletivo Angu de Teatro). Em 2013 fundou a Cia Maravilhas onde desenvolve projetos nas áreas de teatro, literatura e memória, ancorados nos estudos da psicologia do desenvolvimento e da antropologia sobre o brincar, alinhados aos processos criativos e ao teatro. Desde sua fundação, a Cia Maravilhas já realizou inúmeros projetos culturais tendo alcançado reconhecimento nacional em 2014 com o Teatro de Quinta da CASA.17, vencedor do Prêmio Brasil Criativo, categoria teatro, outorgado pelo Ministério da Cultura. Atualmente, além das formações de teatro para crianças e adultos, Márcia Cruz pesquisa de ampliação de repertório artístico, tanto no viés da palhaçaria quanto do teatro. Funpages: Cia Maravilhas | Palavras NO AR | Teatro de Quinta da CASA.17 |Luiz e Eu? Ô viagem danada de boa!