Artist Luca Forcucci's installation "Homage to Kubrick"  in his studio at Red Bull Stationís 12th Artistic Residency Exhibit in Sao Paulo (Brazil) on july 2, 2016.

Luca Forcucci – Maumau + (Entre)Lugares/Estranhas Ocupações

A Maumau recebe em seu quintal e galeria o projeto Estranhas Ocupações! Desta vez com o incrível Luca Forcucci, que passará alguns dias preparando uma instalação site specific para o local, explorando vibrações, ressonâncias e particularidades espaciais/arquitetônicas do ambiente da Maumau como fonte sonora e composicional. O que é? Quem sabe? Bora descobrir o resultado dessa imersão nesta quinta, 13 de julho, a partir das 19h!
Parcerias amigas, projetos presentes e a gente segue (r)existindo!

Aproveitando o momento, o artista também apresentará o seu projeto Bodyspace, uma composição eletroacústica site specific. O espaço da performance, suas características e particularidades espaciais, arquitetonicas e ressonantes integra a obra. A principal idéia centra-se no corpo de um dançarino como a principal fonte sônica. As gravações de duas apresentações em São Francisco e na Suíça foram então compostas no NOTAM, em Oslo, Noruega, resultando em uma peça destinada a ser tocada no escuro, de modo a ampliar as memórias sônicas do público. O projeto inclui gravações de campo de quinze dias na fronteira do Botswana, Região do Limpopo, África do Sul, com um biólogo e compositor (Francisco Lopez). Forcucci realizou a pesquisa como uma expedição em outras regiões da África do Sul, na base de um texto do escritor suíço Friedrich Dürrenmatt (The Viral Epidemic). O romance foi publicado originalmente na coluna de um jornal suíço, e descreve um vírus que transforma o corpo de pessoas brancas em negros. Um texto sobre privilégios e como esses são mantidos em um contexto específico. Eu explorei o país com o texto em mente e observei a divisão após o fim do apartheid. A composição inclui camadas de texto cortado, imagens, vídeo e som compostos em uma peça eletroacústica, como um road movie. .

Bombas sonoras por Yuri Bruscky (esperamos também nosso artista sonoro residente Thelmo Cristovam). Bar, #PrimeiramenteForaTemer te ajudando a segurar essa barra que é ser brasileiro hoje, comidinhas surpresa, nós e vocês!

Sobre o artista:
Luca Forcucci observa as propriedades perceptivas do som, espaço e memória. Os resultados são composições, instalações, poemas, escritos, fotografias e performances. O campo de possibilidades da experiência é explorado como obra de arte. Neste contexto, ele se interessa pela percepção, subjetividade e consciência. Suas principais influências são as compositoras vanguardistas estadunidenses Pauline Oliveros, com o seu conceito de escuta profunda, expandido para tudo o que é humanamente audível, e a abordagem das relações entre som, cognição e espaços estruturados de Marianne Amacher. Desse modo, a escuta é abordada como um ato composicional. Como
pesquisador, seu trabalho é articulado a partir de uma colaboração de longo prazo comneurocientistas cognitivos.

O artista é PhD em Sonic Arts pela De Montfort University e Mestre em Sonic Arts pela Queens University de Belfast. Suas pesquisas foram ainda realizadas na Universidade das Artes de Berlim, INA/GRM Paris (enquanto investigava na Bibliothèque Nationale de France François Mittérand) e Brain Mind Institute, na Suíça, para explorar, através da neurociência cognitiva, experiências extra-corpóreas. Suas composições são lançadas pela Cronica Electronica, Sub Rosa, Universal, Little Records ou de maneira autoproduzida. Luca se tomou parte em espaços e festivais juntamente com Gil Scott Heron, Last Poets, Questlove, Roy Ayers, Plaid, Matthew Herbert, Bernard Parmegiani, Mark Amerika, The Young Gods e Lydia Lunch. Seus trabalhos são apresentados em todo o mundo em uma base regular (30ª Bienal de São Paulo; File Electronic Music Language Festival, São Paulo; Akademie der Künste Berlim; Miller Gallery Carnegie Mellon; DEM Passwords Gallery, Los Angeles; White Box Gallery for 100th John Cage, Nova York; MAXXI: Museum of XXI Century Arts, Roma; Rockbund Museum, Shanghai; Presences Electroniques Festival, Genebra; MAMCO, Genebra; Swiss Institute, Roma, ISEA 2017 Manizales, Colombia) e fazem parte de coleções privadas e públicas em São Francisco, Xangai, Bern e São Paulo. Luca recebeu numerosos prêmios e foi nomeado, na categoria artística, ao World Technology Summit, em Nova York.

https://lucaforcucci.wordpress.com/

 

Luca-EstranhasOcupa-P-1