VÊNUS CAÔZEIRA

Artistas! Urgente!

É preciso invadir, apossar, conquistar, rasgar, trllhar, dominar, viver, amar, partilhar os espaços. Mais do que nunca, é urgente nos multiplicar, nos afetar, tesão e confusão são válidos, selvageria é bom! AAAAAUUUUUUUUUUUUUUU

Bora lá então:
Raisa Inocêncio, nossa enviada em Paris, vem nos visitar com suas divagações e ações sobre seu personagem conceitual : A Vênus Caôzeira.
Nossa deusa nasceu “para dar voz e corpo estético-político sobre o imaginário e desejo feminino brasileiro, compondo uma cartografia pessoal e itinerante sobre algumas das personagens femininas brasileiras”. A artista vai apresentar alguns apontamentos de sua dissertação de mestrado no curso de filosofia na Universidade de Coimbra (PT) e Universidade de Toulouse (FR).

Convidamos, para contribuir na discussão, a Dr. Professora e dançarina Carol Marin, além do público e as demais artistas da noite.
A noite segue com um banho-ritual de Raíza, finalizando sua performance-discussão.

E é com imensa instiga que teremos ainda a presenca de duas artistas locais, Kalor Pacheco e Libra Crux, que também propõem versões deste lugar do corpo e suas implicações como arte e como polticia de existência.

Na performance “Delirar”, Libra propõe “um processo de cura a corpos de dissidência social, que privadas de viver a realidade em paz, encontram no delírio um lugar de possibilidade de existência. A performance ”DELíRIO” é sobre a conexão que o meu corpo teve/tem/terá com o delírio: como delirar me incentiva a construir corpos e expressões desse corpo-bicha que foram remediados a não serem desenvolvidos ao mesmo tempo que desgasta e tira do eixo esse corpo matéria, um ciclo vicioso entre realidade e subversão, que a partir da linguagem performática transforma esse processo em imagem viva.”

Já Kalor mostra a videoperformance ao vivo, parte 1 da série #tecnologiaaservicodaorgia , “Eu Tive Que Engolir or Engolir Porra Nem1a”. O trabalho nasce na experiência do Museu do Sexo das Putas, residência artística da Associação de Prostitutas de Minas Gerais – Aprosmig, em Belo Horizonte (MG) em outubro de 2016 e desde então foi apresentada como videoperformance / videoarte no I Palco Preto, 27º Festival de Inverno de Garanhuns, na mostra Performances negras e caboclas pela DesCÚlonização Social na Udesc, entre outras. A performance é transmitida ao vivo via streaming, trata do que nos engasga, como os mais diversos assédios sexuais masculinos, muitos deles virtuais…

Vamos então espalhar nossos corpos pela Maumau, que te dá arte, cerveja gelada e o que pensar!

Beijas e Beijos! Te esperamos!

SERVIÇO
23 de agosto as 19h
Maumau
Rua Nicarágua, 173
Entrada Franca
MAS VOCÊ PODE COLABORAR COM QUANTO PUDER, PERGUNTE-NOS COMO.