Ocupe Coco na Maumau – lançamento de clipes e show da banda Casas Populares da BR 232

img_9134

A Casas Populares da BR 232 e a Maumau convidam a todxs para comemorar o aniversário de 11 anos da banda com o lançamento de dois clipes do grupo e, claro, dançar muito coco, forró, ciranda, afoxé… e gritar muito FORA TEMER! Vamos fazer uma gira bem bonita e pulsante, e emanar energias pra esse golpista que não nos representa sair do poder!

A noite também será dedicada à despedida da integrante Natália Lopes, que passará uma temporada nos EUA, dando close com a negritude do Brooklyn e com a viadagem de São Francisco, nos matando de inveja. Natália também assina a direção e montagem dos clipes, gravados na comunidade onde ela vive, o Baccario, no bairro do Monte, Olinda. We’ll miss you nigga! Os clipes são das músicas Quero Nadar, Rodopia e Jamba Cacumbi. Quero Nadar, de autoria de Carol Lopes, é uma música com levada latina que questiona o status quo capitalista e branco. O segundo clipe engloba as músicas Rodopia, afoxé de Natália Lopes e o vissungo Jamba Cacumbi, de domínio público.

Para quem ainda não conhece, Casas Populares da BR 232 é uma banda feminista, constituída por artistas com vivência em brinquedos e ritmos populares de Pernambuco. Seus participantes também se aventuram por outras linguagens artísticas, como audiovisual, artes plásticas, dança e teatro. O som trafega pelo Sertão, Agreste, Zona da Mata e Litoral do estado, brincando com cocos, forrós pé-de-serra, afoxés, cirandas e sambas de terreiro. Por isso o nome da banda chama-se Casas Populares da BR 232, estrada que é a principal via de acesso ao interior de Pernambuco. A musicalidade do grupo também reverencia manifestações de raiz de outros estados, como Bahia, Maranhão e Rio de Janeiro. Outras referências são o cancioneiro popular e de vanguarda brasileiro, e as sonoridades periféricas internacionais, especialmente africanas e latinas. Do imaginário da comunidade rural “simples” à realidade complexa dos centros urbanos, o som da banda é música para se sentir no mundo, ou seja, em casa.

Integrantes:
Carolina Lopes – voz, percussão e vocais
Eric Caldas – rabeca, flauta, acordeon, clarinete, sax e vocais
Joaninha Melo – voz, percussão, cavaquinho e vocais
Josy Caldas – percussão e vocais Natália Lopes – voz , percussão e vocais
Raquel Santana – voz, percussão e vocais

 

O evento é aberto ao público, mas aceita colaborações!! Vai rolar chapéu!!!  Abrimos às 20h. Nosso bar* conta ainda com a parceria da Grão de Vida, que ocupa nossa cozinha preparando deliciosos petiscos.

E pra quem não viu ainda a exposição INCOMUM, de Clara Nogueira e Clarissa Machado, permanece aberta. *aceitamos cartões

 

 

Viva as mulé! 😉